Quem sabe, faz?

Quando eu ainda estava na faculdade, um professor comentou que um dos erros mais comuns nas empresas era reduzir investimentos em pesquisa e desenvolvimento (P&D) em épocas de crise. Justamente nos momentos em que é necessário “pensar fora da caixa”, cortam-se os recursos para isso…

Infelizmente, isso não é exclusividade das empresas, como pode ser observado no relatório da OECD sobre o assunto em 2014. Segundo a edição mais recente (2018), o problema persiste:

Desde 2010, o investimento público em I&D na OCDE como um todo, e em quase todos os países do G7 estagnou ou diminuiu, não só em termos absolutos e relativamente ao produto interno bruto, mas também em termos de percentagem da despesa pública total.

OECD Science Technology and Inovation Outlook 2018

Para piorar, recentemente tivemos notícias de cortes nas verbas destinadas ao Sistema S. Logo aqui, onde não precisamos nem falar de P&D porque o déficit de educação é um problema crônico! Como desenvolver um país em que a educação é relegada a segundo plano, chegando até a ser considerada “despesa” e não “investimento”?

Eu canso de ver pessoas estudadas repetindo o ditado Quem sabe, faz; quem não sabe, ensina e perguntando-se por que os jovens de origem asiática vão mais longe nos estudos e deixam os brasileiros para trás

Continue lendo

Sem resposta…

Com o término da missão da sonda Opportunity, talvez essa história em quadrinhos, publicada em 2017 durante a comemoração dos 13 anos da missão, venha a ser refeita, para inverter os “papéis principais”…

Pensavam que a sonda Opportunity (uma recordista já naquela época) sobreviveria à sonda Curiosity (lançada em 2012), mas futurologia é assim mesmo. Além disso, achei pouco os 284 anos que consideraram necessários para o encontro.

Independentemente desses detalhes, achei muito oportuna a mensagem de alerta que ela nos passa!

Desculpem-me, eu não resisti ao trocadilho!

Nem tudo é o que parece ser…

Considero Matrix um dos meus filmes prediletos: independentemente da qualidade do restante da trilogia, ele me fez refletir sobre várias coisas, especialmente sobre o conceito de realidade e como os nossos sentidos podem nos enganar (e ser enganados).

É relativamente fácil compreender que “realidade” é como interpretamos o mundo através de nossos sentidos. O que precisa ser observado é que o condicionamento do nosso cérebro influencia essa interpretação. Ou seja, até um certo ponto, nós criamos nossa realidade!

A pedra flutuante na imagem abaixo circulou recentemente nas redes sociais. Ela não passou por montagens em programas como o Photoshop: as plantas, o solo, a pedra… Todos os elementos são reais. Então, como ela flutua?

Continue lendo

Benquerer

Encontrei uma tirinha hilária de Carlos Ruas d’Um Sábado Qualquer que achei bem adequada para os dias de hoje:

ruas_planetinhas_1.jpgFonte: Um Sábado Qualquer.

Infelizmente, às vezes precisamos tomar cuidado até com aqueles que dizem gostar de nós!

P.S. Descobri que “bem-querer” foi alterada pelo Acordo Ortográfico e agora é escrita como… “benquerer”!

A importância de escolher certo…

Gostei da nova série de cartuns de Carlos Ruas do Um Sábado Qualquer sobre a importância dos estudos!

ruas_escolhas.jpgFonte: Um Sábado Qualquer.

O conhecimento e a sabedoria são nossas maiores vantagens nesse mundo, precisamos valorizá-los mais!