Como assim, Bial?

bbb.jpg

Na internet, é comum encontrarmos textos com autoria incorreta, como o texto regras que não se aprende na escola, normalmente atribuído a Bill Gates, ou o texto Os votos, normalmente atribuído a Victor Hugo.

Isso não ocorre apenas com personalidades internacionais. Existem textos atribuídos a vários intelectuais brasileiros, como Carlos Drummond de Andrade, Clarice Lispector, Millôr Fernandes, Pasquale Cipro Neto e Luis Fernando Verissimo. Ironicamente, os problemas provenientes dessas “obras” fazem com que sejam veementemente repudiadas pelos seus supostos autores.

Um exemplo é o texto a seguir, que tem circulado a internet erradamente atribuído a Verissimo, quando seu verdadeiro autor parece ser Marcelo Guido. De fato, pelo menos para mim, que sou leigo, Verissimo parece ser mais sutil e irônico…

Continue lendo

Algumas reflexões sobre a televisão

Inspirado pela recente tirinha sobre reality shows, resolvi procurar por mais algumas relacionadas à televisão e encontrei algumas excelentes tirinhas d’Os Levados da Breca.

O autor atribui às suas tirinhas uma sagacidade à primeira vista ingênua, muito parecida com a encontrada em alguns comentários brilhantes das crianças. E as três tirinhas abaixo exemplificam isso muito bem: ácidas na medida certa, especialmente a última (nº 519)!

oslevadosdabreca_sensocritico.gifTirinha nº 507

oslevadosdabreca_videotas.gifTirinha nº 512

oslevadosdabreca_recheiodatv.gifTirinha nº 519

Fonte: Os Levados da Breca.

Maçãs, idéias e conhecimento

george_bernard_shaw.gifDesde pequeno, meus pais me ensinaram que o bem mais valioso é o conhecimento. Ouvi isso inúmeras vezes, de mais formas do que consigo lembrar. Tanto que, até hoje, considero um livro uma das melhores aquisições possíveis. Carla que o diga!

Porém, o termo “valioso”, pode dar uma conotação monetária que não destaca a importância do que armazenamos em pouco mais de um quilo de massa cinzenta. Recentemente, vi uma frase de George Bernard Shaw que, em minha opinião, consegue demonstrar essa importância, fugindo do conceito de valor:

Se você tem uma maçã e eu tenho uma maçã, e nós trocamos as maçãs, então você e eu ainda teremos uma maçã. Mas se você tem uma idéia e eu tenho uma idéia, e nós trocamos essas idéias, então cada um de nós terá duas idéias.

(George Bernard Shaw)