Você atualizou seu Windows hoje?

calendario.jpg

A crença popular não precisa de muitas explicações para aceitar certas regras como verdade: não é preciso entender a Lei da Gravidade, para saber que tudo que sobe, desce, ou conhecer Edward Murphy, para concordar que se algo pode dar errado, dará.

Com relação a informática, é inegável que todo programa de
computador tem defeitos. E quanto maior e mais complexo o programa, pior. O sistema operacional, responsável por gerenciar os recursos da máquina é um dos programas maiores e mais complexos que há (o Windows XP, por exemplo, tem cerca de 40 milhões de linhas de código). Uma das consequências é que novas falhas são descobertas diariamente tornando necessário atualizar o sistema continuamente.

No caso do Windows, o número de correções é tão elevado, que a Microsoft transformou a segunda terça-feira de cada mês no dia oficial para publicá-las, a Patch Tuesday. Contando as correções dos programas de terceiros, instalados para tornar o computador realmente útil (o Windows não traz quase nenhum aplicativo), o número de atualizações necessárias é impressionante.

Segundo uma pesquisa recente da empresa de segurança Secunia, uma instalação típica do Windows precisa ser atualizada cerca de 75 vezes por ano. Assim, para afastar um pouco os riscos, o usuário Windows precisa atualizar sua máquina a cada 5 dias, lidando com um total de 22 rotinas de atualizações diferentes. Talvez por isso, mais de 98% dos computadores Windows estão desatualizados!

Nessa horas, é bom lembrar que a maioria das distribuições Linux conta com um sistema de pacotes que facilita a instalação e, principalmente, a atualização do sistema operacional e de todos os aplicativos. Como ainda podem dizer que Linux é mais difícil de usar?

2 comentários sobre “Você atualizou seu Windows hoje?

  1. Dados impressionantes. 40 milhões de linhas de código?

    Fiquei curioso para saber o paralelo com o Linux. E um comparativo da grana. Afinal há uma diferença entre SL e SW gratuito.

    Seria interessante saber.

Deixe um comentário: