Primeiro o mais importante, gente…

Estive conversando sobre a lei que limita o sacrifício de animais no estado de São Paulo apenas àqueles em estado terminal.

É uma questão polêmica. Concordo que não temos o direito de decidir que outros devam morrer para diminuir a população, como disse uma leitora, mas creio que não estão lembrando do que realmente importa…

Não defendo maldades com animais, e sim medidas paliativas como a castração e campanhas em favor da adoção e contra o abandono de animais (infelizmente existem irresponsáveis que compram um animal e depois, arrependidos, abandonam-no na rua). Simplesmente devolver animais capturados à rua ou mantê-los em cativeiro quando perigosos demais, parece-me ingênuo, para dizer o mínimo.

A seguir, trechos de duas matérias do Estadão.com sobre o assunto.

Continue lendo

A teoria do fundo preto

Soube de uma nova campanha ecológica: economizar energia nas páginas web.

Segundo a Energy Star, num monitor CRT, uma página toda branca consome por volta de 74 watts de energia, enquanto uma página toda preta consome em torno de 59 watts. Portanto, páginas com cores mais escuras, seriam mais econômicas, zelando pelo planeta.

Esse é o fundamento da Blackback web theory, campanha que gerado rebuliço na internet. Já há, inclusive, uma paleta (conjunto de cores), chamada Emergy-C, proposta pela campanha:

emergy-C

Gostei da idéia! Mas estudos provam que a leitura de texto com letra escura e fundo claro é mais confortável que a de texto claro com fundo escuro (FREITAS, 1999)…

Por isso, enquanto penso como implementá-la aqui, mudei algumas das cores para ajudar a campanha…