Como converter de TIFF para PDF

pdf_file.png

Eu gosto do formato PDF.

Enquanto a linguagem HTML objetiva a disseminação de um documento em qualquer uma das diversas plataformas existentes, o formato PDF vai mais além e busca garantir sua reprodução idêntica. Não é necessário imaginar se uma determinada fonte existirá no sistema operacional do leitor ou se a impressora manterá o alinhamento correto de duas figuras, um arquivo PDF construído corretamente deverá ser sempre igual.

O formato apresenta algumas outras vantagens:

  • reduz o tamanho dos arquivos;
  • dispõe de vários visualizadores, a maioria, gratuitos; e
  • apesar das vulnerabilidades descobertas recentemente, é relativamente seguro, pois, quando um arquivo PDF é gerado sem malwares, dificilmente será contaminado no futuro.

Devido ao alto custo do material de impressão (tinta e papel) e às campanhas para preservação do meio ambiente, é cada vez mais comum armazenar documentos neste formato. Por essa razão, essa não é a primeira vez que escrevo sobre esse formato ou sobre ferramentas para ele.

Continue lendo

Kneber botnet – a nova cara de ZeuS

cracker.jpg

Na semana passada, foi noticiado que peritos da NetWitness, uma empresa de segurança especializada em forense computacional, durante atividades de rotina, descobriram uma botnet composta por mais de 75 mil computadores pertencentes a mais de 3 mil organizações ao redor do mundo, incluindo algumas das 500 maiores empresas segundo a Fortune e órgãos do governo norte-americano.

Uma botnet é uma rede formada por computadores contaminados e controlados remotamente por crackers. Sem conhecimento de seus donos, esses computadores passam a executar quaisquer tarefas desejadas pelos malfeitores, como ataques em larga escala, envio de spam, distribuição de pornografia ou roubo de dados.

Continue lendo

Atualizar o plugin do Adobe Flash no Linux

Há alguns meses, o plugin do Adobe Flash continha uma vulnerabilidade grave. Segundo o último boletim de segurança, essa e outras onze vulnerabilidades foram corrigidas com a versão 10.0.32.18, liberada no último dia 30 de julho.

Depois de duas semanas, creio que maioria dos usuários já atualizou o seu plugin. Mas, para ter certeza, acesse a página que verifica as informações da sua instalação.

Uso o Ubuntu 9.04 e, curiosamente, alguns arquivos do Flash haviam sido atualizados mas o plugin, não. Se esse for o seu caso, basta baixar o arquivo .deb para Ubuntu 8.04 ou superior, através da Central de Downloads Adobe ou por esse link direto.

Vulnerabilidade crítica em aplicativos Adobe

virus_infected.png

Eu gosto do formato PDF e aconselho a todos que o usem. Eu mesmo o usei por muito tempo (e pretendo voltar a usar logo) aqui no site. Isso porque esse formato, entre outras coisas:

  • mantém a formatação do texto digitado, independente do equipamento em que é lido;
  • se necessário, impede a cópia e a impressão do texto;
  • possui uma grande variedade de bons leitores, em sua maioria, gratuitos; e
  • é menos vulnerável a malwares, como os vírus de macro que ameaçam os usuários do Microsoft Office.

Acontece que, talvez para enfrentar a concorrência, a Adobe vem implementando funcionalidades no formato PDF e, em conseqüência, aparecendo nos relatórios de segurança.

Continue lendo

Como mesclar e dividir arquivos PDF?

road_runner_2.gif

Às vezes, é necessário dividir ou mesclar arquivos PDF contendo os documentos digitalizados. Para uso pessoal, uso o pdftk e estou bastante satisfeito: é simples e rápido. Porém, por ser um programa de linha de comando, costuma ser um pouco assustador para a maioria dos usuários onde trabalho.

Eu costumava usar e recomendar o PDF Split and Merge, em virtude de sua interface gráfica em português. Os usuários, porém, mesmo assim sentiam alguma dificuldade. Contudo, hoje eu descobri uma interface gráfica para o pdftk no Windows: o PDFTK Builder.

Sua interface, apesar de ainda em inglês, é baseada em abas tornando intuitivo o uso das funções do pdftk. Na maioria das vezes, será usada a aba Collate, por meio da qual geram-se novos arquivos PDF a partir de trechos de arquivos existentes. Nessa aba também são definidas senhas de acesso e o bloqueio de algumas funcionalidades do novo arquivo, como impressão ou cópia de texto. É possível ainda adicionar marcas d’água e rotacionar páginas, para facilitar a exibição de tabelas ou gráficos, por exemplo. Rápido, prático e pequeno: gostei!

Continue lendo