Surfar ou chafurdar na web?

antispam.jpg

O uso da internet parece-se um pouco com a colonização do continente americano. No começo, o mundo virtual (o Novo Mundo) parecia um paraíso, cheio de oportunidades e bastante seguro. Contudo, à medida que oportunistas passaram a frequentá-lo, mostrou-se tão arriscado quanto o mundo real (o Velho Mundo). As ferramentas de proteção, como antivírus e programas anti-spyware, têm muito trabalho para se manter atualizados frente ao número cada vez maior de ameaças.

Em virtude dessa mutabilidade, antivírus, anti-spyware, vacinas e toda a parafernália de proteção são o último recurso de segurança. São como as redes usadas pelos trapezistas, ou os cintos de segurança nos veículos: estão lá para prevenir maiores danos em caso de acidente, mas não se deve contar exclusivamente com eles.

Infelizmente, isso não ocorre com a maioria dos usuários. Eles tendem a relaxar ao instalar um antivírus (muitas vezes pirateado, mas isto é assunto para outro artigo) e ficam descuidados. Confiando numa suposta infalibilidade do programa de proteção, clicam em qualquer propaganda, figura animada ou alguma variação da expressão “clique aqui” e terminam contaminados com uma variedade de vírus, worms, spywares e adwares de fazer inveja a algumas empresas de segurança.

Um estudo feito pela Websense Security Labs traz informações preocupantes como as listadas abaixo:

  • o número de sites apresentando conteúdo malicioso (como vírus, worms, spywares e adwares) cresceu 233% no primeiro semestre de 2009;
  • 95% dos comentários em blogs e redes sociais (como orkut, Twitter e Facebook) eram spam ou apresentavam conteúdo malicioso;
  • 78% das páginas com temas questionáveis (como sexo, violência, drogas e jogos de azar) apresentavam pelo menos um link para conteúdo malicioso;
  • mais de 85% dos e-mails eram spam ou apresentavam conteúdo malicioso; e
  • o Brasil é (infelizmente) o terceiro país com mais hospedagem de software relacionado a crimes eletrônicos, atrás apenas dos Estados Unidos e China.

Com o volume de lixo na internet hoje, não há antivírus que aguente! Os usuários precisam se acostumar a evitar sites suspeitos, a observar qualquer mudança nas páginas de sites conhecidos, a suspeitar de mensagens de e-mail e a escolher melhor seus navegadores, por exemplo.

Se não fizerem isso, estarão condenados. A não ser que tenham esperança que a situação melhore nos próximos anos…
geek_poke_spam100.gif

Eu não tenho…

Um comentário sobre “Surfar ou chafurdar na web?

  1. Excelente post !!!
    Gostei da metáfora “redes usadas pelos trapezistas, ou os cintos de segurança nos veículos”, muitas vezes nos sentimos ‘na corda bamba’ ou num ‘trânsito infernal’ quando navegamos na Web.
    Das estatísticas a que mais me assustou, por causa do ZEducando, foram os 95% de comentários em blogs com spam ou conteúdo malicioso.
    A charge é muito boa !

    ab.

Deixe um comentário: