Qual o segredo para ser feliz?

confucio_prazer_no_trabalho.png

Todos nós trabalhamos. É uma atividade que ocupa pelo menos um terço do nosso dia e aproximadamente metade de nossa vida. Na maioria dos casos, o trabalho contribui para o senso de identidade, valor e dignidade das pessoas.

Assim, apesar de ser necessário separar as vidas pessoal e profissional, se quisermos ser felizes precisamos dar a devida atenção à nossa saúde (física e mental), aos nossos relacionamentos interpessoais (especialmente com a família e os amigos) e… ao trabalho.

Na maioria das vezes, a saúde e os relacionamentos até que recebem alguma atenção. O trabalho, por outro lado, normalmente é esquecido por ser considerado um castigo, o que não é certo.

Na verdade, há uma teoria que indica que, depois de atender às necessidades básicas (como saúde e segurança) e sociais (relacionamentos), o indivíduo precisa se realizar profissionalmente para ser feliz.

Por isso, para concluir o conjunto de mensagens motivacionais para o ano de 2013, eu trouxe do Zen Pencils, um site especializado em cartuns com citações inspiradoras, duas sugestões para essa questão:

confucio_prazer_no_trabalho.png
Fonte: Zen Pencils.
jacks_prazer_no_trabalho.png
Fonte: Zen Pencils.
 
Um feliz 2013, com muita saúde, paz e felicidade para você!

4 comentários sobre “Qual o segredo para ser feliz?

  1. Verdadeira a mensagem.

    Porém (sempre tem os poréns) acredito que nem 10% da população trabalha EXATAMENTE no que gosta. E gosto de exemplificar pelo “absurdo”:

    • imagine um coveiro (tive infelizmente essa experiência recentemente). Me atrevo a dizer que 100% dos coveiros NÃO trabalham no que gostam. Seria impossível gostar de enterrar gente, vendo e ouvindo dezenas, às vezes centenas de pessoas, chorando ao seu lado…
    • e os lixeiros, ou melhor, os profissionais que trabalham naqueles caminhões que recolhem excretos humanos de casas que não possuem esgoto e sim fossas (tem muito ainda neste nosso país, no Nordeste em especial). Seria dificílimo acreditar que esses profissionais trabalham no que gostam!

    Ou seja, rapadura é doce mas não é mole não…

    Abs,

    • Como sempre, você tem ótimos argumentos!

      É verdade: pouquíssima gente trabalha no que realmente gosta, assim como é raro encontrar uma pessoa realmente feliz.

      Porém (como você mesmo diz, sempre tem um porém), talvez a ideia seja justamente não desistir da busca.

Deixe um comentário: