Preso por um mosquito?

mosquito_csi_small.jpgAcabei de ler uma notícia curiosa: a polícia finlandesa usou um mosquito para identificar um suspeito de roubo de carros!

Em junho passado, um carro foi roubado na cidade de Lapua, 380km ao norte de Helsinki, e foi encontrado próximo a uma estação de trem em Seinaejoki, a cerca de 25km de onde foi levado (até aí, nada de novo).

Durante a investigação, a polícia encontrou, no carro, um mosquito cheio de sangue e o encaminhou para testes de laboratório. Resultado: o DNA contido no sangue pertencia a um homem fichado na polícia (caramba!).

Segundo o inspetor Sakari Palomaeki, apesar de se interessarem por todas as evidências, é raro policiais usarem insetos para resolver crimes. Não é comum usar mosquitos. Durante o treinamento, não nos dizem para ficar de olho em mosquitos na cena do crime. Não é fácil encontrar um mosquito num carro, isso mostra o quão meticulosa a investigação foi, disse o inspetor.

E a coisa ainda fica mais curiosa! Apesar de a Justiça finlandesa ainda não ter decidido se as evidências serão sólidas o bastante para levar o caso adiante, durante o interrogatório, o suspeito negou o envolvimento com o roubo, insistindo que pegou uma carona com um homem que dirigia o carro (antes, ninguém podia garantir que ele havia sido picado dentro do carro, agora ele “se colocou” lá dentro! Tsc, tsc, tsc!)…

Fontes: Quentinhas do Terra e BBC News.

Um comentário sobre “Preso por um mosquito?

  1. Interessante essa notícia!

    Se a moda pega por essas bandas abaixo do equador… E principalmente quando pensamos nos casos passionais, imagine a “caça ao mosquito” em motéis!

Deixe um comentário: