Marketing topiário

jardineiro.jpg

Na minha opinião, um dos mais importantes cartões de visita de uma empresa é a forma como ela trata seus clientes. Bom atendimento não necessariamente significa uma boa qualidade do produto ou serviço oferecido, mas pode ser a diferença entre escolher uma ou outra empresa com produtos e serviços de qualidades semelhantes.

Pelo menos duas vezes, escrevi aqui sobre a qualidade no atendimento. Como estou reformando minha casa e tenho encontrado os mais variados níveis de qualidade, tanto técnica quanto de atendimento, começarei a escrever algumas observações sobre o assunto, para publicar aqui. Enquanto meu artigo não fica pronto, publicarei alguns textos de terceiros para reflexão sobre o assunto.

O texto abaixo, de autoria desconhecida, circula na internet já há alguns anos e dá uma noção de controle de qualidade no atendimento a clientes.

Talento!

Mensagem que circula na internet (autor desconhecido)

Nos Estados Unidos, a maioria das residências tem por tradição ter em sua frente um lindo gramado, e diversos jardineiros autônomos para fazer aparos nestes jardins.

Um dia, um executivo de marketing de uma grande empresa dos Estados Unidos contratou um desses jardineiros. Chegando em sua casa, o executivo viu que estava contratando um garoto de apenas
13 anos de idade; mas, como já o havia contratado, pediu que o garoto executasse o serviço.

Quando o garoto terminou o serviço, solicitou ao executivo a permissão para utilizar o telefone, no que foi prontamente atendido. Contudo, o executivo não pode deixar de ouvir a conversa. O garoto havia ligado para uma senhora e perguntava:

– A senhora está precisando de um jardineiro?
– Não. Eu já tenho um. – respondeu.
– Mas além de aparar, eu também tiro o lixo!
– Isso meu jardineiro também faz.
– Eu limpo e lubrifico todas as ferramentas no final do serviço! – disse ele.
– Mas isso o meu jardineiro também faz.
– Eu faço a programação de atendimento o mais rápido possível!
– Não, o meu jardineiro também me atende prontamente.
– O meu preço é um dos melhores!
– Não, muito obrigada! O preço do meu jardineiro também é muito bom!

Quando ele desligou o telefone, o executivo disse-lhe paternalmente:

– Meu rapaz, você perdeu um cliente…
– Não! – respondeu o garoto – Eu sou o jardineiro dela. Eu apenas estava medindo o quanto ela estava satisfeita!

Algumas reflexões válidas:

  1. Quantas empresas você conhece que se beneficiariam de uma avaliação simples como esta?
  2. Quantas delas teriam coragem para fazer essa avaliação?
  3. Uma empresa cuidadosa a ponto de fazer esse tipo de avaliação teria mais chances de prover um produto ou serviço de qualidade?

O que você acha?

Um comentário sobre “Marketing topiário

  1. Excelente este texto. Quantos teriam esta coragem? Eu, como servidor público que sou, fico estupefato quando me deparo com certos tipos de atendimento no âmbito das empresas e pessoas. E muitas vezes fico me perguntando se não estou na área errada… Porque se tivesse um cliente sequer, procuraria tratá-lo como um rei, simplesmente porque minha sobrevivência dependeria dele(s).

    ab

Deixe um comentário: