Home banking: três testes práticos

padlock.png

À medida que mais transações comerciais são feitas pela internet (compras, pagamentos, transferências, etc.) a segurança ganha mais importância. Até aí, nenhuma novidade.

Gosto do assunto e considero importante. Num dos meus rascunhos de artigo, defendo que a melhor medida de segurança é treinar o usuário. Enquanto não o publico, seguem três dicas bem práticas para aumentar, pelo menos um pouco, a segurança no uso de home banking:

  1. procure pelo cadeado – sempre que entrar no site do banco, verifique no seu navegador (geralmente na barra de rodapé), a existência de um cadeado fechado (como esses: cadeado_ie6.gif cadeado_ie7.gif cadeado_fx2_windows.gif cadeado_fx2_linux.gif). Ele é o sinal que a identidade do banco está garantida (via certificação digital). Entretanto, recentemente, os falsários aprenderam a exibir a figura de um cadeado para enganar os incautos. Então, dê um duplo-clique no ícone. Se for o ícone verdadeiro, serão exibidas informações do certificado de segurança do banco.
  2. minimize a página – alguns falsários exibem uma cópia falsa da página de informações bancárias (agência, conta-corrente e senha), inclusive o teclado virtual, por cima da página verdadeira. Então, assim que for exibida essa página, minimize o navegador. Se o teclado virtual (ou qualquer outro elemento da página) permanecer na tela, interrompa a transação!
  3. erre na primeira tentativa – alguns falsários fazem uma cópia que comporta-se exatamente como a página do banco. A idéia é capturar os dados do cliente, exibir uma mensagem de erro qualquer e depois direcioná-lo para a página verdadeira. Errando propositalmente, numa provável captura, os dados capturados seriam incorretos. Como os bancos permitem pelo menos três tentativas, caso você esteja mesmo na página do banco, poderá tentar novamente.

Essas três dicas foram-me passadas por e-mail (valeu Zé Rosa!). Teoricamente foram exibidas no programa Show Business, pelo consultor de segurança do Unibanco. Não sei se a fonte é verdadeira, mas as dicas são boas.

Claro que, apesar da declaração do consultor, elas não garantirão que você jamais seja vítima de fraude virtual. Mas são fáceis de seguir e são mais uma medida de segurança…

Deixe um comentário: