jlcarneiro.com http://www.jlcarneiro.com Porque agora todo mundo é "pontocom"! Fri, 24 Oct 2014 04:39:44 +0000 pt-BR hourly 1 http://wordpress.org/?v=4.0.1 Sobre políticos, caravanas e cães… http://www.jlcarneiro.com/sobre-politicos-caravanas-e-caes/ http://www.jlcarneiro.com/sobre-politicos-caravanas-e-caes/#comments Fri, 24 Oct 2014 04:03:36 +0000 http://www.jlcarneiro.com/?p=2059 Como hoje é sexta-feira, vamos relaxar um pouco. E, como é a sexta-feira que antecede o segundo turno das eleições de 2014, não custa nada refletir um pouco também… Fonte: Alberto Montt en dosis diarias.]]>

Como hoje é sexta-feira, vamos relaxar um pouco.

E, como é a sexta-feira que antecede o segundo turno das eleições de 2014, não custa nada refletir um pouco também…


politicos_caes_caravana.jpg
Fonte: Alberto Montt en dosis diarias.

]]>
http://www.jlcarneiro.com/sobre-politicos-caravanas-e-caes/feed/ 2
Conheça o Projeto Truco! http://www.jlcarneiro.com/conheca-o-projeto-truco/ http://www.jlcarneiro.com/conheca-o-projeto-truco/#comments Wed, 01 Oct 2014 21:18:01 +0000 http://www.jlcarneiro.com/?p=2054 Alguma vez, ao terminar de assistir a um programa eleitoral, você já ficou com uma “pulga atrás da orelha”, imaginando quanto de tudo o que foi dito é verdade e quanto é… exagero? Continuando o tema do artigo anterior, trago […]Continue lendo ]]>

Alguma vez, ao terminar de assistir a um programa eleitoral, você já ficou com uma “pulga atrás da orelha”, imaginando quanto de tudo o que foi dito é verdade e quanto é… exagero?

Continuando o tema do artigo anterior, trago hoje o Projeto Truco!, uma iniciativa da Agência Publica de Jornalismo Investigativo para checar as informações veiculadas pelo candidatos no horário eleitoral da TV com o mesmo tom provocativo e bem humorado do jogo de cartas bem conhecido em vários estados brasileiros.

A Agência Pública é um centro independente de jornalismo voltado para a produção de grandes reportagens. Durante o projeto (a campanha eleitoral deste ano) o esforço da equipe está voltado para a fiscalização dos programas. Cerca de dez jornalistas se revezam na confirmação das informações apresentadas pelos candidatos na TV.

A proposta é que as equipes de cada candidato provem os dados e promessas que foram ditos em seus respectivos programas. Aos dados checados, são atribuídas cartas, de acordo com o que for apurado:

projeto_truco_selos.png

  • Não é bem assim… – informação exagerada, distorcida ou discutível;
  • Blefe – a informação é falsa. São usados dados de outras fontes (de preferência independentes) e auxílio de especialistas para confrontar a versão apresentada;
  • Tá certo, mas peraí… – informação correta mas que precisa ser contextualizada. Existem mais dados que o eleitor precisa saber do que os que foram apresentados durante o programa eleitoral;
  • Zap! – informação correta e também relevante dita pelo candidato. Para isso, são apresentados números que confirmam e expandem o que foi falado;
  • Truco! – informações insustentáveis e promessas grandiosas, sem explicação de como serão implementadas. É um desafio público enviado às equipes de campanha para que o candidato responsável pela frase dê mais explicações ao eleitor. As respostas obtidas serão divulgadas assim que a campanha responder; e
  • Que medo! – algumas propostas podem causar uma série de transtornos ou afetar negativamente alguns grupos da população. Esse selo serve como alerta nesses casos e vem acompanhado de um texto que mostra problemas que aquela ideia traz.

Além da checagem de dados, o projeto traz ainda duas séries de reportagens:

  • Cartas na Mesa – apresenta a população negativamente afetada por ações, projetos e propostas dos principais candidatos; e
  • Rodada de Promessas – uma compilação das promessas apresentadas pelos presidenciáveis durante o horário eleitoral em áreas como educação, saúde, segurança e economia.

Apesar de estarmos nas vésperas da eleição, a análise dos programas já exibidos está disponível, vale a pena conferir!

Infelizmente, só descobri esse projeto hoje… Espero que deem continuidade a ele nas próximas eleições, seria uma ferramenta muito útil!

]]>
http://www.jlcarneiro.com/conheca-o-projeto-truco/feed/ 1
Defenda-se da retórica eleitoral! http://www.jlcarneiro.com/defenda-se-da-retorica-eleitoral/ http://www.jlcarneiro.com/defenda-se-da-retorica-eleitoral/#comments Wed, 01 Oct 2014 00:04:06 +0000 http://www.jlcarneiro.com/?p=2051 Assim como os advogados, os políticos ganham a vida empregando a retórica. Eu me refiro à arte de persuadir por meio da linguagem. Como diria o Capitão Nascimento: – O conceito de retórica… em grego, ρητορική… em latim, rhetorica… em […]Continue lendo ]]>

Assim como os advogados, os políticos ganham a vida empregando a retórica. Eu me refiro à arte de persuadir por meio da linguagem. Como diria o Capitão Nascimento:

– O conceito de retórica… em grego, ρητορική… em latim, rhetorica… em francês, rhétorique… Os senhores estão anotando?

São vários discursos bonitos na época da eleição mas, alguns meses depois, geralmente surge uma certa frustração (ou decepção mesmo) no eleitor. Quem nunca ouviu uma antiga piada sobre o “Inferno em tempo de campanha”?

(Nunca estudei sobre o assunto, mas talvez isso seja um dos fatores que contribuem para o desinteresse do brasileiro com política…)

Assim como acontece na natureza, com o tempo os eleitores estão aprendendo que é necessário criar defesas contra as técnicas empregadas em discursos durante as campanhas eleitorais. Essa semana, li uma matéria muito interessante na Revista Língua Portuguesa que tenta ajudar nisso.

Segundo a matéria, a morte de um dos candidatos a presidente da república teve um enorme impacto nas estratégias dos demais candidatos: uma disputa que vinha sendo marcada como uma das mais propositivas e menos autofágicas sofreu uma reformulação retórica completa e brusca, e não apenas nas chapas presidenciais!

Por essa razão, a revista reuniu algumas das maiores falácias corriqueiras em períodos eleitorais com o objetivo de ajudar o eleitor que, mesmo mais amadurecido (segundo os especialistas), precisa estar atento quando um candidato não detalha como e quando vai fazer o que promete nem quanto vai gastar.

(Em outras palavras, precisa estar atento para não ser enganado.)

Recomendo a aquisição porque, além dessa, há várias outras matérias na revista que valem a pena! Entretanto, como faltam pouquíssimos dias para a eleição, seguem alguns pontos principais:

Usar o “estilo Odorico Paraguaçu”

Suspeite do uso de hipérboles, rodeios e eufemismos (apesar de, em tempos de politicamente correto, evitar eufemismos ser difícil). Como, por exemplo, candidatos que dizem “realinhamento de tarifas públicas” em vez de “aumento de energia e gasolina”. Ou candidatos que fogem da palavra “racionamento” com as expressões “desconforto hídrico” ou “crise de mananciais”…

Manter-se no vazio comunicativo

O período eleitoral costuma ser dominado pela generalização vazia. Candidatos abusam de palavras que causam impacto sem necessariamente os comprometer com algo concreto. Algumas delas são: “desafios”, “esperança”, “conquistas”, “continuidade”, “renovação”, “novo” e “mudança”. As duas últimas, por exemplo, aparecem nos slogans de vários candidatos. Também são comuns expressões com as quais todos concordam mas nada especificam, como “a cidade precisa de saúde” e “o futuro do país depende da educação”, por exemplo.

Apelar a reservas mentais

Concordar com a literalidade da afirmação, mas violar o seu princípio. Por exemplo, perguntado se é a favor ou contra o aborto, o candidato responde: Não conheço ninguém que seja a favor do aborto. A resposta não corresponde à pergunta feita (qual a opinião própria do candidato, afinal?). Respostas como essas criam uma reserva mental, permitindo que o interlocutor interprete a resposta sem que o candidato se comprometa de fato.

Distorcer deliberadamente a posição do oponente

Tática frequente, ainda mais sob forte polarização, como a reta final de uma campanha eleitoral. Consiste em atribuir ao oponente um ponto de vista falso (ou distorcer o ponto de vista verdadeiro) sobre uma questão. Ao exagerar, desvirtuar ou simplesmente inventar um argumento desfavorável para o oponente, fica mais fácil apresentar a sua posição como razoável ou válida.
Normalmente, essa tática só é combatida com a apuração da verdade por parte dos eleitores, o que quase nunca acontece (como ocorre com os boatos que varrem a internet todos os dias).

Driblar o ônus da prova

Quem afirma algo tem a obrigação de prová-lo. É o chamado “ônus da prova”, mas muitos candidatos contrariam esse princípio deliberada e repetidamente. Desconfie ao menos das três maneiras mais frequentes de evitar a apresentação de evidências para sustentar um argumento:

  • considerar óbvio que não há cabimento em questionar a afirmação – Ninguém em seu juízo perfeito pode ser a favor da legalização da maconha.;
  • colocar-se como garantia de correção daquilo que afirma – Estou convencido que… ou Tenho certeza que…, por exemplo. É um jogo calculado: intimida contestações e, se elas vierem, tenderão a vir na forma de um ataque pessoal, facilmente contornável; e
  • tomar a parte pelo todo – elaborar construções frasais em que um comportamento isolado é generalizado, um traço específico vira comum. O candidato afirma um comportamento como sendo “do” brasileiro. Como não está definida a quantidade de brasileiros que sustenta tal opinião, a afirmação apela a generalizações por meio de essências (o brasileiro…).

Fugir da questão concreta

Discorrer sobre algo paralelo à questão central, sem parecer que mudou de assunto:

– O senhor é contra ou a favor da volta da CPMF?
– Veja bem… A captação de recursos para a saúde… blá-blá-blá… e fiz mais pela saúde do que meu oponente… blá-blá-blá… Não se trata de onerar a carga tributária… blá-blá-blá…

Atacar a pergunta

Trata-se de questionar a questão, ao invés de respondê-la. Por exemplo, quando o governo não tem como defender um ato governamental, reage a um pedido de CPI pela oposição, dizendo que se trata de manobra eleitoreira. Quando a oposição quer desviar a atenção sobre uma ação de governo… faz o mesmo(!).

Justificar um erro com outro

O orador justifica um erro pela tradição ou por um equívoco similar do rival cometido algum tempo antes. Para não levar a culpa por algo, argumenta-se que as coisas sempre foram feitas daquela maneira ou que o rival cometeu o mesmo deslize.

Insinuar questões complexas

Consiste em embutir uma afirmação prévia em uma pergunta ou em uma outra afirmação. Por exemplo:

  • A eleitoreira política social do governo gastou milhões do Tesouro – pressupõe que a política social do governo é eleitoreira;
  • É uma ilusão de qualquer governo pensar que o PMDB possa estar unido em seu apoio – enquanto se discute se os governos se iludem ou não com o PMDB, admite-se a tese de que o partido jamais está unido na adesão a um governo.

Abusar do “efeito dominó”

É concluir de uma proposição uma série de fatos ou consequências que podem ou não ocorrer. É um raciocínio levado indevidamente ao extremo, às últimas consequências. Por exemplo:

O álcool e uma dieta pobre também são grandes assassinos. Deve o governo regular o que vai à nossa mesa? A perseguição à indústria de fumo pode parecer justa, mas também pode ser o começo do fim da liberdade.

Conclusão

Sobrecarregado com alguns problemas pessoais, há muito tempo não publico nada. Mas gostei tanto dessa matéria que tive que arranjar um tempinho para escrever sobre ela antes das eleições.

Sei que ninguém vai virar um especialista em identificar armadilhas eleitorais apenas com esse artigo, mas ele traz algumas ferramentas para ajudar os eleitores a interpretar os discursos de pessoas praticam a retórica diariamente como forma de ganhar a vida…

]]>
http://www.jlcarneiro.com/defenda-se-da-retorica-eleitoral/feed/ 5
Afinal, o que é que nós entendemos? http://www.jlcarneiro.com/afinal-o-que-e-que-nos-entendemos/ http://www.jlcarneiro.com/afinal-o-que-e-que-nos-entendemos/#comments Fri, 14 Feb 2014 03:14:27 +0000 http://www.jlcarneiro.com/?p=1892 Hoje é sexta-feira, dia de relaxar um pouco e aprender! Já tinha ouvido essa música antes, mas não tinha parado para ver a mensagem contida na letra… Sou uma criança, não entendo nada Por Erasmo Carlos Antigamente quando eu me […]Continue lendo ]]>

Hoje é sexta-feira, dia de relaxar um pouco e aprender!

Já tinha ouvido essa música antes, mas não tinha parado para ver a mensagem contida na letra…

Sou uma criança, não entendo nada

Por Erasmo Carlos

Antigamente quando eu me excedia
Ou fazia alguma coisa errada
Naturalmente minha mãe dizia:
“Ele é uma criança, não entende nada”…

Por dentro eu ria
Satisfeito e mudo
Eu era um homem
E entendia tudo…

Hoje só com meus problemas
Rezo muito, mas eu não me iludo
Sempre me dizem quando fico sério:
“Ele é um homem e entende tudo”…

Por dentro com
A alma atarantada
Sou uma criança
Não entendo nada…

É curioso como, à medida que envelhecemos, descobrimos o quão pouco sabíamos antes, não é?

]]>
http://www.jlcarneiro.com/afinal-o-que-e-que-nos-entendemos/feed/ 1
O labirinto da vida… http://www.jlcarneiro.com/o-labirinto-da-vida/ http://www.jlcarneiro.com/o-labirinto-da-vida/#comments Thu, 13 Feb 2014 03:21:26 +0000 http://www.jlcarneiro.com/?p=1894 Hoje vi, no CTRL+PELS, uma tirinha que combina com minha mensagem de ano-novo para 2014. Acho até que poderia usá-la como mensagem de ano-novo para o ano que vem. O problema é que gostei tanto da mensagem que não resisti! […]Continue lendo ]]>

Hoje vi, no CTRL+PELS, uma tirinha que combina com minha mensagem de ano-novo para 2014.

Acho até que poderia usá-la como mensagem de ano-novo para o ano que vem.

O problema é que gostei tanto da mensagem que não resisti! Então publico agora mesmo…

gaturro_e_a_felicidade.jpgFonte: CTRL+PELS.

]]>
http://www.jlcarneiro.com/o-labirinto-da-vida/feed/ 2
Geração Coca-cola com Mentos? http://www.jlcarneiro.com/geracao-coca-cola-com-mentos/ http://www.jlcarneiro.com/geracao-coca-cola-com-mentos/#comments Fri, 10 Jan 2014 03:14:52 +0000 http://www.jlcarneiro.com/?p=1880 Quero propor uma rápida reflexão sobre um texto e uma charge que encontrei na internet. Comecemos pelo texto… Protesto Autor desconhecido* — Filho, descobri no seu armário, uma máscara daquele cara do Anonymous e um taco de beisebol. Você tá […]Continue lendo ]]>

Quero propor uma rápida reflexão sobre um texto e uma charge que encontrei na internet.

Comecemos pelo texto…

Protesto

Autor desconhecido*

— Filho, descobri no seu armário, uma máscara daquele cara do Anonymous e um taco de beisebol. Você tá usando essas coisas?
— Não! Quero dizer, às vezes…
— É que estou precisando. Você me empresta?
— Precisando? Pra quê?
— É que eu li umas coisas que você andou escrevendo no Facebook. É público, não é?
— Pai, eu sei que você não gostou do que eu escrevi lá, mas são as minhas ideias, eu sou anarquista e…
— Não, eu achei legal! Você me convenceu.
— Convenci? De quê?
— Tá tudo errado mesmo! Agora eu sou um anarquista também, que nem você.
— Você o quê!? Pai, que história é essa?
— É que você fez a minha cabeça. Tem que quebrar tudo mesmo! Agora eu sou Old Black Bloc!
— Pai, você não pode. É diretor de uma empresa enorme…
— Não sou mais, não. Larguei o meu emprego. Mandei o meu chefe e todo mundo lá ir tomar…
— Você não pode largar o seu emprego, está lá há 30 anos!
— Posso sim! Aliás tô juntando uma galera pra ir lá quebrar tudo! Abaixo a opressão! Abaixo tudo! É só você me emprestar a máscara e o taco de beisebol. E aí, você vem comigo?
— Não, acho melhor não…
— É melhor você vir porque, agora que eu larguei tudo, a gente vai ter sair deste apartamento.
— Sair daqui!? E a gente vai morar onde?
— Sei lá! Vamos acampar em frente a uma empresa qualquer e exigir o fim do Capitalismo!
— Pai, você não pode fazer isso! Não pode abandonar tudo!
— Tô indo! Fui!
— Peraí, pai! E minha mesada? E onde eu vou morar? E meu computador? Volta aqui! Volta aqui, pai!! Voltaaaaa!!!

* Adaptado do original em Cheng-Pong nº 764.

Agora, para complementar o texto, segue a charge de Tiago Recchia:
black_bloc_brasil.jpgFonte: Gazeta do Povo em 28/10/2013.

E aí, o que achou? Também viu um incômodo fundo de verdade?

]]>
http://www.jlcarneiro.com/geracao-coca-cola-com-mentos/feed/ 1
Como ter um ano mais organizado http://www.jlcarneiro.com/como-ter-um-ano-mais-organizado/ http://www.jlcarneiro.com/como-ter-um-ano-mais-organizado/#comments Thu, 09 Jan 2014 03:23:33 +0000 http://www.jlcarneiro.com/?p=1879 Feliz ano-novo a todos! Que 2014 nos traga muita saúde e paz! Essa é uma boa época para fazer um balanço dos últimos meses e se preparar para os novos desafios que virão. Existem vários textos sobre o assunto na […]Continue lendo ]]>

Feliz ano-novo a todos! Que 2014 nos traga muita saúde e paz!

Essa é uma boa época para fazer um balanço dos últimos meses e se preparar para os novos desafios que virão. Existem vários textos sobre o assunto na internet, por exemplo:

Juntando esses textos, temos algumas dicas que podem nos ajudar no nosso trabalho…

Às vezes a bagunça física acaba afetando nossa cabeça gerando uma bagunça mental. Sabe quando o ambiente está tão bagunçado que a gente não consegue pensar? Se você se sente oprimido pela bagunça, aqui estão alguns passos praticamente indolores para começar a limpeza física (e mental)…

Trabalhe por áreas e classifique por utilidade

Não tente arrumar tudo de uma vez, a bagunça geralmente aumenta durante o processo e o desânimo pode surgir piorando a situação. Comece dividindo a área a arrumar em partes menores e comece por aquelas cuja arrumação causará maior impacto (ver os resultados aparecendo ajuda a espantar a preguiça).

Classifique os itens dessa área em apenas duas categorias: “guardar” ou “descartar”. Pode usar caixas se preferir.

Uma boa regra para saber o que fica ou vai embora, é você lembrar a ultima vez que o item foi usado. Se isso foi há mais de seis meses, e não se trata de item sazonal, é hora de se livrar dele. Não pense em desculpas para ficar com itens que obviamente estão causando desordem. Você tem apenas duas alternativas: guardar ou descartar.

Quando você terminar de colocar todos os itens nas caixas, será mais fácil saber o que ficará (e precisará ser arrumado) e o que será eliminado.

Separe os itens a descartar adequadamente

Cheque a caixa “descartar” e separe o que será doado ou irá definitivamente para o lixo:

  • lâmpadas fluorescentes, pilhas e baterias devem postos em uma caixa para entregar em um posto de coleta (geralmente casas de materiais de construção ou lojas de celulares);
  • papéis, plásticos e vidros que não tiverem resíduos orgânicos (como restos de comida em embalagem de alimentos), devem ser separados para reciclagem;
  • separe o que será doado, de preferência por destinatário; e
  • coloque o lixo restante em embalagens adequadas.

Para não ficar com caixas e sacos “encalhados”, providencie logo um destino adequado: ligue para as instituições virem coletar, coloque-os na mala do carro para não esquecer quando sair ou jogue-os no lixo conforme o caso.

Com relação a documentos, lembre-se que no caso de serviços públicos ou privados, prestados ao consumidor de forma contínua (como fornecimento de água, luz, telefone, TV por assinatura, escolas e cartão de crédito), o prestador do serviço é obrigado a encaminhar aos consumidores uma declaração de quitação de débitos referente ao ano anterior, no mês de maio. Como essa declaração substituirá os demais recibos e comprovantes emitidos ao longo do ano anterior, basta guardar a declaração de quitação e os recibos do ano anterior.

Leia mais sobre os prazos para guardar documentos em Qual o prazo que o consumidor deve guardar contas de água, luz, telefone, etc?.

Organize o que sobrou

A tarefa final é organizar o que sobrou na caixa “guardar” e isso não deve demorar muito também. Os itens devem ser guardados de acordo com a frequência de uso:

  • aqueles usados sazonalmente (como enfeites de Natal, por exemplo) podem ficar em caixas etiquetadas e guardadas em armários;
  • os itens de uso esporádico em gavetas ou prateleiras. Quanto maior a frequência de uso, mais acessíveis devem ficar; e
  • deixe em cima da mesa (e na gaveta de cima) apenas aqueles itens de uso diário ou pelo menos frequente.

Um dos princípios da organização é um lugar para cada coisa e cada coisa em seu lugar. Tente organizar de forma lógica para facilitar a recuperação posterior. Não adiantar guardar algo que não se encontra quando necessário…

Dependendo do tamanho da área, o grau de desorganização e da quantidade de tempo que você gasta nesse ambiente, seja escritório, garagem, quarto, qualquer um desses projetos pode ser feito facilmente usando o mesmo processo.

Não esqueça do computador!

Em um mundo cada dia mais digital, não podemos nos esquecer dos nossos arquivos em computador! Trate seus arquivos e mensagens de e-mail seguindo os mesmos princípios:

  • trabalhar por áreas, como e-mail, disco rígido, discos externos, cartões de memória, pendrives e discos (CD e DVD);
  • classificar por utilidade (guardar ou descartar). Tendemos a guardar arquivos digitais desnecessários porque temos a impressão que eles “não ocupam espaço”; e
  • organizar o que sobrou. Crie pastas no seu e-mail e nas unidades de armazenamento e armazene os discos de forma lógica para facilitar buscas posteriores.

Ah! Se você precisa de algumas dicas para organizar e-mails, sugiro os dois (ótimos) textos a seguir:

]]>
http://www.jlcarneiro.com/como-ter-um-ano-mais-organizado/feed/ 1
É hora de começar de novo… http://www.jlcarneiro.com/e-hora-de-comecar-de-novo/ http://www.jlcarneiro.com/e-hora-de-comecar-de-novo/#comments Mon, 30 Dec 2013 03:02:58 +0000 http://www.jlcarneiro.com/?p=1871 Para começar o ano de 2014, vou postar um vídeo motivacional que fiz com a música Tente Outra Vez, de Raul Seixas, e alguns vídeos engraçados que encontrei na internet. Essa música traz uma mensagem tão importante que deveria ser […]Continue lendo ]]>

Para começar o ano de 2014, vou postar um vídeo motivacional que fiz com a música Tente Outra Vez, de Raul Seixas, e alguns vídeos engraçados que encontrei na internet.

Essa música traz uma mensagem tão importante que deveria ser vista várias vezes ao ano…

Tente Outra Vez

Por Raul Seixas

Veja!
Não diga que a canção está perdida.
Tenha fé em Deus, tenha fé na vida.
Tente outra vez!

Beba!
Pois a água viva ainda está na fonte.
Você tem dois pés para cruzar a ponte.
Nada acabou! (Não, não, não, não!)

Tente!
Levante sua mão sedenta e recomece a andar.
Não pense que a cabeça aguenta se você parar. (Não, não, não, não!)
Há uma voz que canta,
uma voz que dança,
uma voz que gira,
Bailando no ar!

Queira!
Basta ser sincero e desejar profundo.
Você será capaz de sacudir o mundo. (Vai!)
Tente outra vez!

Tente!
E não diga que a vitória está perdida,
se é de batalhas que se vive a vida.
Tente outra vez!

Quando pequenos não desistíamos. Por que fazer isso agora?

]]>
http://www.jlcarneiro.com/e-hora-de-comecar-de-novo/feed/ 1
Cuidado com a sexta-feira negra! http://www.jlcarneiro.com/cuidado-com-sexta-feira-negra/ http://www.jlcarneiro.com/cuidado-com-sexta-feira-negra/#comments Thu, 28 Nov 2013 04:39:14 +0000 http://www.jlcarneiro.com/?p=1865 Nos Estados Unidos e Canadá, a sexta-feira seguinte ao Dia de Ação de Graças é chamada de Black Friday (Sexta-feira Negra) e marca o início do período de compras do Natal. Apesar de oficializado pelo Governo Federal (através das Leis […]Continue lendo ]]>

Nos Estados Unidos e Canadá, a sexta-feira seguinte ao Dia de Ação de Graças é chamada de Black Friday (Sexta-feira Negra) e marca o início do período de compras do Natal.

Apesar de oficializado pelo Governo Federal (através das Leis nº 781/1949 e nº 5.110/1966, e do Decreto nº 57.298/1965), o Dia Nacional de Ação de Graças passa despercebido pela maioria das pessoas aqui no Brasil.

O curioso é que enquanto o aspecto religioso é praticamente esquecido, o aspecto comercial não é: nos últimos anos tem havido um grande esforço para implantar o costume da Sexta-feira Negra aqui no país…

Infelizmente, as últimas edições têm decepcionado bastante, não apenas pelos descontos (bem inferiores aos praticados “lá fora”), como também por queixas de preços inflados e desorganização por parte das empresas participantes.

Já escrevi sobre esse assunto duas vezes no passado (Dicas para a Sexta-feira Negra e Macacos de imitação?), mas não custa lembrar algumas dicas:

  1. acesse o site oficial da promoção;
  2. consulte o Código de Ética do Black Friday, lançado pela Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico para tentar regulamentar a promoção;
  3. consulte as orientações e a lista de sites não recomendados do Procon de São Paulo;
  4. ao encontrar ofertas tentadoras, verifique se o desconto é real ou se o preço foi inflacionado antes da promoção, usando ferramentas de acompanhamento em sites como JáCotei, Buscapé e Baixou; e
  5. lembre-se que na Cyber Monday (a segunda-feira após a Black Friday) costuma haver um saldão de itens de tecnologia.

Não custa lembrar que a Black Night (uma prévia da Black Friday) já teve problemas!

]]>
http://www.jlcarneiro.com/cuidado-com-sexta-feira-negra/feed/ 1
Pensa que macaco é prego? http://www.jlcarneiro.com/pensa-que-macaco-e-prego/ http://www.jlcarneiro.com/pensa-que-macaco-e-prego/#comments Sun, 17 Nov 2013 05:43:00 +0000 http://www.jlcarneiro.com/?p=1862 Acabei de ver um trecho de uma palestra na TEDxPeachtree sobre comportamento animal que preciso compartilhar! Em uma experiência, dois macacos recebiam uma recompensa ao entregar uma pedra à pesquisadora. Inicialmente, um pedaço de pepino era uma recompensa mais do […]Continue lendo ]]>

Acabei de ver um trecho de uma palestra na TEDxPeachtree sobre comportamento animal que preciso compartilhar!

Em uma experiência, dois macacos recebiam uma recompensa ao entregar uma pedra à pesquisadora. Inicialmente, um pedaço de pepino era uma recompensa mais do que satisfatória para eles.

Mas, quando um dos macacos passou a receber uma uva pela mesma tarefa, o outro (que continuava recebendo apenas pedaços de pepino) teve uma reação, no mínimo, curiosa:

Link para o vídeo

Quem nunca se sentiu pior remunerado ao executar a mesma tarefa que um colega? Ninguém gosta, não é? Ao que parece, nem os animais…

E não pense que isso ocorre apenas com macacos! A palestra é muito interessante e mostra várias atitudes “humanas” (como troca de favores, exploração e preguiça), ocorrendo até entre elefantes! Se você quiser, pode vê-la completa a seguir (são apenas 17 minutos):


Link para o vídeo

]]>
http://www.jlcarneiro.com/pensa-que-macaco-e-prego/feed/ 3