E então, o que você fez?

john_lennon.jpg

O fim do ano é uma época bastante propícia à reflexão. Em todos os lugares, mensagens novas e antigas convidam-nos a rever o que aconteceu, nossas ações e suas consequências.

Talvez tentemos nos convencer de que tudo que nos aconteceu, coisas boas e ruins (especialmente as ruins) valeu a pena e nos fez crescer, tornando-nos pessoas melhores. É possível que essa seja, afinal, uma das razões para termos inventado a contagem do tempo: poder encarar o amanhã como uma nova chance, apesar de ele ser, essencialmente, um dia igual a hoje.

Uma das mensagens mais frequentes vem na forma de um dos “temas oficiais” do Natal, uma canção gravada originalmente em 1971 como protesto contra a Guerra do Vietnã e regravada em diversas formas e versões (inclusive uma em português).

Ainda que o Brasil não se encontre em guerra no momento (não?), a letra é tão bonita que, mesmo correndo o risco de cair no lugar comum, merece ser lembrada:

Happy Xmas (War Is Over)

Por John Lennon e Yoko Ono

(Happy Christmas, Kyoko
Happy Christmas, Julian)

So this is Christmas
And what have you done?
Another year over
A new one just begun.

And so this is Christmas
I hope you have fun
The near and the dear ones
The old and the young.

A very merry Christmas
And a happy New Year.
Let’s hope it’s a good one
Without any fear.

And so this is Christmas / War is over,
For weak and for strong. / If you want it,
The rich and the poor ones / War is over
The road is so long. / Now.
So happy Christmas / War is over,
For black and for white. / If you want it,
For yellow and red ones / War is over
Let’s stop all the fight. / Now.

A very merry Christmas
And a happy New Year.
Let’s hope it’s a good one
Without any fear.

And so this is Christmas / War is over,
And what have we done? / If you want it,
Another year over / War is over
And a new one just begun. / Now.
And so this is Christmas / War is over,
And we hope you have fun / If you want it,
The near and the dear ones / War is over
The old and the young. / Now.

A very merry Christmas
And a happy New Year.
Let’s hope it’s a good one
Without any fear.

War is over, if you want it
War is over now.

Merry Christmas! Happy Christmas!

Uma música que começa propondo a todos uma autoavaliação e termina com uma mensagem de esperança, paz e igualdade entre as pessoas é sempre bem vinda! Para os curiosos, segue uma tradução livre:

Feliz Natal (A guerra acabou)

Por John Lennon e Yoko Ono

(Feliz Natal, Kyoko
Feliz Natal, Julian)

Então é Natal
E o que você fez?
Outro ano acabou
E um novo está começando.

E então é Natal
Espero que sejam felizes
Os próximos e os queridos
Os velhos e os jovens.

Um feliz Natal
E um próspero Ano-novo.
Esperemos que seja um bom ano,
Sem motivos para qualquer medo.

E então é Natal / A guerra acabou,
Para os fracos e para os fortes. / Se você quiser,
Para os ricos e para os pobres / A guerra acabou
Será um longo caminho. / Agora.
Então, feliz Natal / A guerra acabou,
Para os negros e para os brancos. / Se você quiser,
Para
os amarelos e para os vermelhos. / A guerra acabou,
Paremos com toda a luta. / Agora.

Um ótimo Natal
E um próspero Ano-novo.
Esperemos que seja um bom ano,
Sem motivos para qualquer medo.

E então é Natal / A guerra acabou,
E o que nós fizemos? / Se você quiser,
Outro ano acabou / A guerra acabou
E um novo está começando. / Agora.
E então é Natal / A guerra acabou,
Esperamos que sejam felizes / Se você quiser,
Os próximos e os queridos / A guerra acabou,
Os velhos e os jovens. / Agora.

Um ótimo Natal
E um próspero Ano-novo.
Esperemos que seja um bom ano,
Sem motivos para qualquer medo.

A guerra acabou, se você quiser.
A guerra acabou, agora.

Feliz Natal!

Bonita, não é? Agora, se preferir mensagens mais concretas, dê uma olhada nessa Receita de ano novo.

De qualquer forma, como diz a versão brasileira: Então bom Natal e um Ano-novo também! Que seja feliz quem souber o que é o bem!

3 comentários sobre “E então, o que você fez?

  1. Penso que:

    • não temos essa capacidade de evitar submeter o outro a nossa vontade, afinal de contas é a nossa vontade que conta;
    • não temos como evitar as vontades, principalmente aquelas que nos fazem bem;
    • o que queremos nem sempre é o que necessitamos;
    • nossas necessidades nascem de nossa incapacidade de descobrir nosso limite; e
    • nosso limite é em verdade um círculo ao redor do que entendemos como o outro.

    Enquanto pensarmos que o outro é simplesmente um elemento necessário a satisfazermos nossas necessidades, nada irá mudar, precisamos iniciar um movimento de cooperação mútua, caro amigo, um movimento que funcione como o efeito dominó, e isso tem que começar pela nossa consciência, pela mudança do nosso modo de pensar, de agir e de vigiar nossas vontades.

    Afinal, oração não é só oração, é orar e ação.

    Como diz a letra meu caro amigo – A very merry Christmas, you too.

    Carpe diem quam minimum credula postero (colha o dia, confia o mínimo no amanhã).

Deixe um comentário: