Existem mil maneiras de preparar…

Começamos um novo período eleitoral.

Para ajudar, sugiro algumas reflexões sobre políticas, redes-sociais (pelo visto serão muito usadas este ano!) e extremismo que não ficam velhas… A começar por essa:

quintessence_of_hate.pngFonte: Imgur (autor desconhecido).

Espero que pesquisemos e reflitamos com cuidado. E debatamos com mais calma ainda!

Afinal, eleições vêm e vão mas, apesar de termos que aturar os políticos eleitos por vários anos, o que fica mesmo são nossos amigos e familiares…

No dos outros…

O mundo hoje anda muito chato, com as pessoas sempre reclamando de alguma coisa! Há pessoas que reclamam “a favor disso”, outras que reclamam “contra aquilo” e, como não poderia deixar de ser, pessoas que reclamam pelo direito de reclamar!

Geralmente, cada um desses reclamões manifestantes escreve um “textão” para “causar” ou “lacrar” em suas redes sociais… O curioso é que, por mais variados que sejam, eles normalmente têm uma coisa em comum:

jagodibuja_humor.pngFonte: JagoDibuja.com.

Tragédia é se eu cortar o meu dedo. Comédia é se alguém cair num bueiro aberto e morrer.
(Mel Brooks)

Qual é mesmo a razão?

Gosto muito do humor que propõe reflexões importantes como, por exemplo:

Por isso, quando encontrei o cartum a seguir, não resisti:

jimbenton_end_of_racism.pngFonte: Jim Benton.

O pastorzinho mentiroso…

Continuando a sequência de reflexões com fábulas dos últimos posts, segue uma versão macabra (ou mais realista?) da clássica história d’O Pastorzinho Mentiroso

oglaf_wolf.pngFonte: Oglaf.

Originalmente, a lição era algo como em boca de mentiroso, até o certo é duvidoso.

Hoje em dia (mesmo dando um desconto para o “politicamente correto”), acho que poderíamos acrescentar algo como nem tudo serve para fazer piada!

Contra a força…

lobo_cordeiro.png

Continuando a reflexão proposta no começo do mês (e a sequência de textos de antigos livros didáticos de Língua Portuguesa), trago uma clássica fábula, recontada por Monteiro Lobato.

Esta é uma das fábulas de Esopo, escritor grego que viveu no século VI A.C. e teve um conjunto de textos reunidos e atribuídos a ele por Demétrius, em 325 A.C.

Desde então, as fábulas tornaram-se clássicos da cultura ocidental e tiveram centenas de versões, devidamente atualizadas, demonstrando a universalidade das lições neles contidas:

Continue lendo