Conteúdo na internet hoje em dia

Houve um tempo em que a internet era um mar de informações (daí a expressão “navegar na internet”) e cada clique nos levava a uma descoberta…

Claro que encontrávamos algum lixo, mas a quantidade ainda não incomodava. Não podemos dizer o mesmo da estética da época, mas isso é assunto para outra hora…

Já hoje em dia…

owlturd_clickbait.jpg
Fonte: Owlturd Comix.

Continue lendo

O feitiço virou contra o feiticeiro…

E se a indústria automobilística fosse como a indústria de tecnologia? Volta e meia vejo comparações como essa. Normalmente, piadas, claro! Afinal, ambas usam todos os artifícios possíveis (éticos ou não) para nos estimular a comprar continuamente…

Mas só pela velha rixa entre Microsoft e Apple (devia ser entre PC e Mac, já que carros tecnicamente são hardware), vale a pena ver três versões de uma delas…

cars_windows_vs_mac_1.jpgcars_windows_vs_mac_2.jpgcars_windows_vs_mac_3.jpg
Fonte: Desconhecida (internet).

A segunda e a terceira charges parecem ser edições feitas sobre a primeira (que retrata o “carro Microsoft” como uma dor de cabeça), que aparenta ser a original.

Será mais um caso daquele velho ditado O feitiço virou contra o feiticeiro?

O eterno duelo da informática

Raramente vejo uma piada realmente engraçada de informática! Para ser sincero, ainda não tenho certeza que pessoas “normais” achem esse cartum engraçado, mas que ele é verdadeiro…

klossner_security_fight_color.pngFonte: Computerworld Cartoons.
Atualização: Troquei a figura para uma versão colorida.

Ah! Isso ele infelizmente é!

A vida imita a arte?

whos_watching_you.png

Nos anos 80, os filmes de terror (como Halloween – A Noite do Terror, Sexta-feira 13 e A Hora do Pesadelo) estavam em alta.

Não demorou muito para que a tendência seguisse para a música, onde o maior destaque é a inesquecível Thriller, de Michael Jackson.

Em uma outra música que seguia essa tendência, o compositor queixava-se de não ter mais privacidade e associava isso a uma imaginária situação de terror. O medo era tanto que beirava a paranóia!

Continue lendo