Pedagogia televisiva

Sei que essa história da televisão influenciar na educação infantil é muito “anos 80″, mas encontrei esse cartum de Quino no ZÉducando e não resisti:

quino_TV.jpg
Fonte: ZÉducando.

Ah! Se preferir, essa técnica também funciona com tablets ou smartphones

A televisão de Galeano

galeano_livro_dos_abracos.jpg

Ontem faleceu mais um dos grandes nomes da América Latina, Eduardo Hughes Galeano, jornalista e escritor uruguaio.

Em sua memória, seguem algumas de suas reflexões sobre a televisão, retiradas de sua obra “O Livro dos Abraços”:

Continue lendo

Só depende de nós!

urna_bandeira.jpg

Ontem, tivemos mais um conjunto de manifestações contra a corrupção por todo o país. Fiquei feliz em ver que é a segunda manifestação desse porte que ocorre sem notícias de violência nem de vandalismo.

Também acho que a corrupção é um dos maiores, senão o maior mal que aflige nosso país (o outro, na minha opinião, seria a falta de educação, acadêmica e doméstica). Porém, acho que, além de nos manifestarmos, precisamos melhorar a qualidade do nosso voto e, principalmente, combater a corrupção no dia a dia.

Continue lendo

Só uma pedrinha…

Uma dia, um professor me disse que podemos aprender algo todos os dias se prestarmos atenção.

Essa semana eu estava em uma sala de espera e, para passar o tempo, comecei a ler algumas revistas em quadrinhos. Eu estava me divertindo com a Turma da Mônica, quando encontrei, em uma revista do Chico Bento, a historinha a seguir:

so_uma_pedrinha_1.jpgso_uma_pedrinha_2.jpgso_uma_pedrinha_3.jpgso_uma_pedrinha_4.jpg
Fonte: Turma da Mônica.

Acho que meu professor tinha razão…

O último ensinamento

pai_e_filho.jpg

Nossos pais são uma das maiores dádivas que temos na vida.

Não falo de eles terem nos trazido a este mundo (fato importantíssimo, mas infelizmente há aqueles que se limitam a isso), refiro-me a terem nos protegido, a terem nos servido de exemplo, a terem tido a paciência para nos ensinar a ser “gente de bem”. E o fizeram sem querer nada em troca, exceto o nosso bem-estar!

Há alguns anos, publiquei um texto de Artur da Távola em que ele conclui:

Ser pai é, enfim, colher a vitória exatamente quando percebe que o filho a quem ajudou a crescer já, dele, não necessita para viver. É quem se oculta na obra que realizou e sorri, sereno, por tudo haver feito para deixar de ser importante.

É uma linda conclusão, mas um primo me enviou hoje um outro texto que a contradiz, provando que o trabalho dos pais nunca termina: eles estão sempre nos ensinando.

Nem que seja a última coisa que façam…

Continue lendo